Como Conseguir um Relacionamento Saudável?

Casamento  /   /  Por Casal Em Construção

“No começo de qualquer relacionamento, tudo são flores.” Você com certeza já deve ter ouvido essa frase. E, se chegou até aqui, provavelmente essa tal fase já passou para você e seu parceiro e você agora está em busca de um relacionamento saudável.

Relacionamentos, de modo geral, são complexos. Duas pessoas diferentes, com criações muitas vezes completamente opostas, que se conhecem e embarcam nesta aventura que é viver junto.

Mas o que é viver junto?

A resposta que está por trás dessa pergunta pode transformar – ou desanimar – muitos casais. De pronto, pensamos em compartilhar as tarefas do dia a dia, unir as famílias, dividir as contas da casa. Não, nada disso está errado. Mas viver junto vai um pouco além disso. Na verdade, vai MUITO além disso.

Em relacionamentos de amizade, por exemplo, existe (ou pelo menos deve existir) comprometimento, sinceridade, parceria e vontade. Com um casal não é diferente. Mas existe uma diferença primordial: a rotina.

Dormir e acordar junto, os filhos, as diferenças, a família difícil de lidar, os amigos que às vezes não colaboram… Quando estamos à deriva, em um barco aparentemente meio furado, com um parceiro que não ajuda a remar, fica difícil não pensar que o relacionamento vai acabar afundando.

Se você se identifica com esse cenário, não se assuste. Essa é a realidade de milhares de relacionamentos hoje. No Brasil, desde a Lei do Divórcio, sancionada em 1984, um a cada três casamentos acaba. O que antes não passava de 10% nas estatísticas, hoje ultrapassa os 30% de divórcios. Em quarenta anos, somam-se 580 separações por dia.

Em uma cultura de relacionamentos arranjados, onde a falta de liberdade da mulher imperava, realmente era difícil um relacionamento culminar em separação. Mas relacionamentos duradouros nem sempre são sinônimo de felicidade.

O que é felicidade?

Felicidade, no dicionário, tem um significado bastante claro. Felicidade quer dizer “sensação real de satisfação plena. Condição de pessoa feliz, satisfeita, alegre, contente.” Quantas vezes você se sentiu assim no seu relacionamento, nos últimos tempos?

Se você respondeu “poucas vezes” à pergunta acima e prontamente atribuiu ao seu par o fardo de não estar plenamente feliz, pare agora mesmo. Felicidade é um estado intrínseco, pessoal e intransferível. E colocar este diamante, que é a sua felicidade, sob a responsabilidade de outra pessoa, já é um forte indício do porquê o seu relacionamento não está fluindo como deveria.

Mas quais são os sinais de que meu relacionamento não vai bem?

Existem pessoas de diversos perfis, criações, histórias e vivências. Por isso, estipular ou seguir um modelo de relacionamento que aparentemente é bom pode induzir você a dar passos incertos nesta jornada. Porém, uma coisa é certa: se você não consegue se comunicar com a pessoa com quem você vive junto, provavelmente a convivência não só não vai bem, como vai de mal a pior.

Nós, seres humanos, fomos feitos com o dom da fala e da comunicação. Seja por gestos, palavras, imagens ou sons. Está no nosso DNA traduzir aquilo que sentimos, tememos ou desejamos. A comunicação faz parte da nossa evolução e, principalmente, da nossa sobrevivência. E é por isso que, desde 1984, mais de quinhentos casais se divorciam todos os dias.

Um casal sem comunicação não significa apenas um relacionamento sem diálogo. Isso se reflete em diversos sinais de que o relacionamento não vai bem:

Falta de libido

Pode parecer lógico, mas a falta de libido é construída por meses ou até mesmo anos de cobranças, críticas e responsabilidades mal divididas. O dia a dia de um casal impacta diretamente na vida íntima – e vice-versa.

Discussões sem motivos

Um sapato fora do lugar, as crianças que ainda não foram pra cama, a escolha da estação de rádio no carro… Relacionamentos estremecidos são fomentados por diversas discussões sem fundamento.

Vontade exagerada de estar sozinho

Você não aprecia mais a companhia do seu par? Quando vocês estão juntos, você fica pensando em tudo que poderia estar fazendo sozinho(a)? Alerta vermelho!

Dúvidas frequentes sobre a relação

Dúvidas são comuns. Afinal, quem está sempre certo de tudo? Porém, questionar o tempo todo se estar casada(o) com seu par foi ou não uma boa decisão pode indicar que o seu relacionamento não vai bem.

Indiferença a respeito de assuntos que importam

Você ou seu par não faz mais questão de solucionar os problemas que surgem? Falta sensibilidade da outra parte quando a mágoa aparece? Hora de avaliar a estrutura que sustenta o casal.

Frieza

Você demonstra sentimento, afeto ou até mesmo mágoa e sente que está se comunicando com uma pedra de gelo? Ou, quem sabe, você mesma(o) é a parte fria do relacionamento? Falta descobrir o que fez com que vocês esfriassem.

Solidão a dois

Pior do que sentir-se só é a solidão a dois. Parar de apreciar o tempo reservado para vocês dois é apenas um dos percalços da falta de identificação mútua.

Críticas exageradas ou sem sentido

A roupa que ele está vestindo, o perfume que ela usa, o jeito que ele senta, a forma com que ela fala… Os mínimos detalhes, em um relacionamento fragilizado, viram grandes questões.

Falta de visão sobre o futuro

Se no começo do relacionamento era impossível imaginar um futuro sem o parceiro, hoje em dia é difícil imaginar um único mês à frente com ele.

Troca de prioridades (quando o trabalho fala mais alto)

Em um relacionamento que não vai bem, todas as outras coisas parecem mais interessantes do que viver e estar junto. Sair do trabalho mais tarde, passar mais tempo no bar com os amigos, dormir mais cedo para não ter que interagir com o parceiro… Pode ser imperceptível, mas a troca de prioridades existe e é um pedido de socorro em qualquer relacionamento.

Mas afinal, como conseguir um relacionamento saudável?

Uma relação saudável é alicerçada em um conjunto de pequenas atitudes que geram grandes casais. E, apesar de parecer simples, lembrar de cultivar estes microgestos na correria do dia a dia pode ser, inicialmente, uma tarefa difícil.

A marca principal de relacionamentos saudáveis é aprender a jogar junto. E jogar junto quer dizer desejar genuinamente o melhor para o seu parceiro. Quando você consegue atingir esse patamar – e o outro lado também – a reciprocidade positiva é ativada, e a resposta é a multiplicação do amor e do companheirismo necessários para qualquer relação perdurar.

Existem algumas técnicas que podem ser utilizadas para conseguir um relacionamento saudável:

Para a aparente falta de libido, consciência

Se você acredita que a vida sexual de vocês está morta, confie nos cientistas e educadores sexuais: tudo pode ficar bem. Existem dois tipos de desejo – o espontâneo e o responsivo. O primeiro é comum no início de qualquer relacionamento. Desejo a qualquer hora, em quase todo lugar. Já o desejo responsivo é aquilo que surge após um estímulo.

Por exemplo: imagine que você tenha que ir a uma festa, mas não está muito animado para isso. Pensa em todos os obstáculos que precisa ultrapassar para chegar lá e fica com preguiça. Mesmo assim, decide se vestir e ir – e a festa acaba sendo surpreendentemente incrível. Essa analogia cabe perfeitamente à vida íntima: muitos casais pensam não sentir mais desejo pelo parceiro, mas provavelmente estão só acomodados ou preguiçosos. Para a festa ser legal, você precisa estar nela. Ou seja, não é porque o desejo espontâneo acabou, que a libido tenha chegado ao fim também.

Para turbinar o desejo, equilíbrio

A vida íntima é um reflexo de outras áreas de nossas vidas, e nem todas elas estão ligadas diretamente ao seu parceiro. Fatores como saúde emocional e física, condição financeira e manutenção da vida social e do lazer impactam na libido. O importante, aqui, é ter um companheiro com quem se possa contar quando algo não vai bem.

Para evitar frustração, conhecimento

Conhecer seu parceiro é fundamental para evitar frustrações futuras. Pode parecer bobo, mas muitas pessoas se decepcionam porque, com o tempo, descobrem que se casaram com uma idealização de uma pessoa que não existe. Para isso, vale inserir na rotina do casal jogos de perguntas em momentos gostosos, como durante as refeições. Para os namorados, é importante perguntar sobre as pretensões para o futuro, visão política e sobre a vida de modo geral. Depois de casado, é importante manter esses jogos para garantir que, com o passar dos anos, o casal não se transforme em dois estranhos sob o mesmo teto.

Para evitar conflitos, acordos

Quantas brigas poderiam ser evitadas por simples acordos preestabelecidos? Decisões simples, como quem lava a louça, quem limpa a sala, com qual das duas famílias vão passar o Natal e qual o destino das próximas férias devem ser acordadas por ambas as partes. Assim, não há espaço para discussão, descontentamento ou tentativas de barganha. Afinal, as decisões foram tomadas em conjunto.

Para evitar surpresas desagradáveis, limites

Um relacionamento saudável é composto por duas pessoas que se sentem confortáveis vivendo juntas. E todo mundo possui seus próprios limites, que não devem ser ultrapassados apenas pelo medo de perder alguém. Por isso, é importante definir os limites de cada um dentro do relacionamento. Por exemplo, se você beber ou fumar demais fere os limites do seu parceiro, emoções negativas podem vir à tona e provocar desentendimentos.

Para solucionar problemas, criatividade

Seja na vida a dois ou individual, uma coisa é certa: nenhum impasse é resolvido com reclamação. Por isso, a melhor alternativa para superar os obstáculos do dia a dia é encará-los como um jogo de criatividade, em que você e seu parceiro estão juntos em busca da melhor resolução para sair dessa. Lembre-se: nesta aventura que é a vida dois, não pode haver combate nem competição. Ou se joga junto, ou ambos saem perdendo.

Para manter a paixão, admiração

Seres humanos, de modo geral, estão sempre em busca de referenciais. Alguém que os inspire, os estimule a serem melhores e que seja motivo de orgulho e admiração. Para complementar, a autoconfiança (sem ego inflado) é a chave para erradicar a insegurança que assombra tantas pessoas que vivem um relacionamento. Por isso, busque se manter interessante e interessado. Demonstre curiosidade pela vida do seu parceiro e faça o que estiver ao seu alcance para que você mesmo se sinta incrível. Nada é mais irresistível do que alguém que você deseja e admira desejando você de volta, não é mesmo?

Existem diversos tipos de relacionamentos, mas os que não são envoltos em uma atmosfera sólida de intimidade e empatia, provavelmente estão fadados ao fracasso. Porque não há, de fato, como passar anos ao lado de uma pessoa com quem você não se sente confortável para ser quem você é. Feita a escolha, aproveitem a caminhada, andem de mãos dadas e se comprometam a não soltá-las.

Casal em Construção

No mais, você e seu parceiro podem contar com a gente para um relacionamento saudável: um casal que ajuda outros casais a serem felizes para sempre – e isso não quer dizer ser feliz o tempo todo. O Casal em Construção atua desde 2003 educando casais que precisam levar aos seus relacionamentos mais perseverança, amor e compreensão. Afinal, o relacionamento que você vive é o primeiro e mais forte referencial de seus filhos. E um ambiente harmonioso e genuinamente feliz é o que vai transformá-los em adultos saudáveis e prontos para construir famílias igualmente incríveis.

Se você deseja transformar sua vida e conseguir um relacionamento saudável, não pense duas vezes: entre em contato com a gente e embarque nessa aventura! Sua família do futuro vai agradecer por isso!

Quer saber mais sobre o assunto? Assista nosso vídeo sobre esse tema

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Decidir unir as escovas de dentes traz junto outras responsabilidades. Afinal, viver sob o mesmo...

No começo do namoro tudo é festa. É aquele mundo novo, cheio de novidades, paixão e alegria. A...

A ideia de que só o amor sustenta um relacionamento é tão ultrapassada, que deveria ficar apenas...

Um comentário
 
  1. Pingback: Descubra aqui como lidar com ciúmes | Casal Em Construção

Deixe uma resposta