O que a Família Quadrada aprendeu este ano?

Casamento, Filhos  /   /  Por Carlos Marcelo Bianchi

O que aprendemos em 2014? Pelo menos queríamos deixar um último post, primeiro para dizer que a quantidade de coisas que aprendemos a cada ano é enorme e é uma pena não conseguirmos sintetizar tudo aqui. Mas, nessas últimas horas deste ano, vamos correr para falar de duas que consideramos principais.

No decorrer dos anos, fomos tendo conquistas pessoais e profissionais e, nos últimos tempos, naturalmente, elas diminuem, e acabamos nos voltando mais para as conquistas das nossas meninas. Cada fala, cada ação, cada tentativa, cada novo passo, cada nota são os novos trunfos que saboreamos e comemoramos. Ficamos atentos aos seus desejos, anseios e receios, e tudo que fazemos gira em torno disso. Foi muito bom nos desdobrarmos para lhes dar as melhores condições e situações. É bem mais nítido, assim, termos a sensação de construção de futuro do que qualquer ação que tenhamos feito, profissional e/ou pessoalmente. Outra sensação mais intensa é a gratificação: ela é duas vezes mais emocionante do que a nossa própria.

Outro ponto é uma constatação, talvez por nos aproximarmos dos 40 anos. Pode parecer algumas vezes que estamos aprendendo mais do mesmo, mas hoje, com mais maturidade, conseguimos visualizar melhor os ciclos altos e baixos que passamos. Algumas vezes ficamos inseguros, pensativos, mas continuamos firmes observando, pensando e refletindo. Não dominamos os ciclos, nem sua duração, mas eles se tornaram mais nítidos e conseguimos navegar sobre eles: certas situações, inevitáveis, são contornáveis; outras, inesperadas, são transformadas, adaptadas. E assim, sempre, temos aproveitado e aprendido em nossos ciclos, tanto nas descidas quanto nas subidas.

Em 2015, completamos 16 anos de namoro, quando todo o amor começou e permaneceu forte e intenso. É muito bom ver o quanto temos ainda a construir, fazer e aprender e, à medida que as meninas vão crescendo, elas somam objetivos e flores à nossa vida.

Gostou desta matéria? Leia estas também!

– Mamãe, posso conversar com você? – Só um instante. Deixa eu acabar de fazer isso aqui e já podemos...

– Está falando bastante, na sua própria linguagem. 🙂 Na nossa língua, fala algumas...

Mentiras que são permitidas? Como assim? Sabe aquele ditado “O combinado não sai caro”? Pois é, se...

2 comentários
 
  1. Maria Lúcia Japiassú da Silva 1 de janeiro de 2015 at 12:33 Responder

    Vocês são DEMAIS!!!!!!!!!!!!!

  2. José Matos (pai da Mônica) 31 de dezembro de 2014 at 18:15 Responder

    Vocês são um ótimo exemplo para todos os casais, ou melhor, para todas as famílias!

Deixe uma resposta