E agora? Quem poderá nos salvar?

Nós babando e elas crescendo  /   /  Por Mônica Japiassú

E agora? Quem poderá nos salvar?

Essa aconteceu há menos de meia hora: Amanda estava deitada no sofá, já de olhos fechados pra dormir, e de repente falou:

– Papai, como a gente olha? Tem espelho nos nossos olhos? Me expliiiica?

Não esperávamos uma pergunta dessas e ficamos sem saber o que dizer.

O Celinho perguntou a ela como ela acha que a gente olha e se ela já tinha pensado nisso e tal, e ela disse algo do tipo:

– Como a gente vê tudo no espelho, pensei que tinha espelho nos nossos olhos.

O Celinho explicou que há a diferença de que no espelho a gente consegue se ver, e pelos nossos olhos a gente não se vê, e perguntou se ela conseguia pensar em alguma coisa parecida com nossos olhos. Mas como ela não conseguiu, ele deu o exemplo da câmera fotográfica.

Mas como já havia passado da hora dela dormir e não sabíamos como explicar para uma criança de 4 anos como os olhos funcionam de maneira que ela entenda, fizemos uma proposta a ela:

– Tente sonhar com a resposta pra sua pergunta. Se você sonhar, amanhã você nos conta como os olhos funcionam. Se você não sonhar, amanhã nós te contamos.

E aí, alguém tem uma sugestão de uma maneira fácil de explicar como os olhos funcionam?

Cadastre-se para receber e-mail quando houver posts novos!

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Blog renovado! Clique aqui para ir para nosso novo blog! Cadastre-se para...

Blogagem coletiva >> Relato de parto O relato de hoje não é do parto da Amanda (que pode ser visto...

Disney World >> Visto americano – Parte 2 Continuando os posts desta série, hoje farei um resumo do...

8 comentários
 
  1. Mônica Japiassú 9 de janeiro de 2009 at 10:05 Responder

    Hahahahah! Pai, eu também procurei no Google por “Como funcionam os olhos” e encontrei um site com esse texto, aí complicou ainda mais a minha vida! Heheheheh!

    Mas estou adorando as sugestões que o pessoal está dando! Já dá pra tentar explicar melhor pra Amanda! Ainda bem que ela não lembrou disso logo que acordou hoje, aí dá pra explicar só à noite! Heheheh!

  2. Mi 9 de janeiro de 2009 at 07:49 Responder

    Eu li o comentário do Dagner e concordo com ele. Acho que vc deveria tentar fazer a explicação da forma mais lúdica que conseguir, passando a idéia que o Dagner citou, de que o cérebro conversa com a Íris, que se “abre” (expande) e “fecha” (retrai), para captar as imagens (como a máquina fotográfica), e salvar tudo no cérebro, (como no computador), assim, qdo a gente vir uma coisa nova ele registra, e na segunda vez já tá lá guardadinho, a gente já sabe o que é, só de olhar…
    Sei lá, algo nesse contexto…rsrsrs
    Difícil hein? Essa Amanda tá muito esperta!!
    bjos

  3. José (pai da Mônica) 8 de janeiro de 2009 at 22:40 Responder

    Acho melhor dizer a à Amanda que, quando olhamos na direção de algum objeto, a imagem atravessa a córnea e chega à íris, que regula a quantidade de luz recebida por meio de uma abertura chamada pupila. Depois, a imagem chega ao cristalino, e é focada sobre a retina. A lente do olho produz uma imagem invertida, e o cérebro a converte para a posição correta. Na retina, mais de cem milhões de células fotorreceptoras transformam as ondas luminosas em impulsos eletroquímicos, que são decodificados pelo cérebro. Em nossos olhos a córnea funciona como a lente da câmera, permitindo a entrada de luz no olho e a formação da imagem na retina. Localizada na parte interna do olho, a retina seria o filme fotográfico, onde a imagem se reproduz. A pupila funciona como o diafragma da máquina, controlando a quantidade de luz que entre no olho. Ou seja, em ambientes com muita luz a pupila se fecha e em locais escuros a pupila se dilata com o intuito de captar uma quantidade de luz suficiente para formar a imagem.
    Dessa forma simples, ela vai entender direitinho!

  4. Tia dinda Paty 8 de janeiro de 2009 at 22:11 Responder

    Essa menina realmente é uma criança? haahahahahahhaah

  5. Cicero 8 de janeiro de 2009 at 22:11 Responder

    Ei, cade a foto da Letícia????
    Vocês estão devendo!!!!

    Bjs e []s

  6. Cicero 8 de janeiro de 2009 at 22:10 Responder

    Concordo com o Dagner, melhor não inventar, mas contar a verdade (coms as simplificações adequadas). A analogia da máquina fotográfica é uma boa. Da mesma forma que a imagem vai das coisas para a máquina e aparece naquela telinha, a imgame sai das coisas e passa pelos olhinhos, que funcionam com uma lente, juntando toda a imagem. Ai, invés de projetar numa tela, ela é projetada no nosso cérebro, que funciona como a tela do nosso corpo, onde a gente vê tudo. Se ela perguntar como a imagem sai do objeto e vai paar nos olhos, ai vcs vão ter um belo desafio explicando raios de luz, reflexão, etc.
    Boa Sorte aos papais!

    Bjs e []s

  7. Lúcia Japiassú 8 de janeiro de 2009 at 22:06 Responder

    Concordo com o Dagner.
    Será que não existe nenhum livrinho de história que fale de uma maneira que a criança entenda? pesquisem na Internet 🙂
    Agora…não posso deixar passar esse “momento vovó babona”…ela é o MÁXIMO!!!!!!!

  8. Dagner Fonseca 8 de janeiro de 2009 at 21:56 Responder

    Algumas coisas são mesmo difíceis. Mas sempre ouvi que o melhor é não inventar muito: apesar da pouca idade, nossos filhos são capazes de compreender em linhas gerais procedimentos complexos. Acho que a melhor forma é falar tudo que for possível, simplificando ao máximo e usando o máximo de analogias. Mas é importante, na minha opinião, explicar pra ela pois, mais tarde, quando esse assunto voltar a ser abordado ele será absorvido com maior facilidade.
    Acho que dá pra falar de lentes (vocês têm óculos pra mostrar pra ela, não?), pulando a parte de formação da imagem invertida, mas não deixando de mencionar que existe uma comunicação entre os olhos e o cérebro e que é ele o responsável por entender o que nós vemos!
    Espero ter ajudado! Beijão!

Deixe uma resposta