Qual é o seu caráter?

Filhos  /   /  Por Mônica Japiassú

Hoje presenciei uma cena que me fez lembrar de uma frase sobre a qual devemos refletir diariamente:

Caráter é aquilo que você é quando ninguém está te olhando.” (Epícuro)

Eu estava em uma loja, na fila do caixa, que estava grande e demorada. Atrás de mim, dois adolescentes de uns 14 ou 15 anos conversavam sobre os itens que estavam comprando para uma festa que estavam organizando.

Pausa para um comentário: fiquei impressionada com a imensa fluência da língua portuguesa que eles tinham – em cada frase havia cerca de 2 palavrões, um “tá ligado?” e um “leke” (abreviação de “moleque” – denominação que usavam entre si).

Em menos de 5 minutos de espera, um falou para o outro: “Aí, vê lá se dá pra furar a fila!”. Não sei se ele achou que estava falando baixo o suficiente (e se enganou) ou se a cara de pau era tão grande, que ele nem se importou se alguém estava ouvindo.

O amigo saiu de perto e demorou para voltar. Enquanto isso, vi o adolescente que ficou na fila perguntando para uma menina bonitinha que estava mais atrás (certamente para impressioná-la): “Ele entrou na sua frente?” e, virando-se para um adulto que estava logo atrás dele, falou “Aí, isso aqui é uma fila. O final é lá atrás.”

O adulto, com cara de irritado, respondeu em espanhol que a filha dele já estava na fila antes, terminando com um “¿Qué pasa?”.

O adolescente virou o rosto e ainda debochou, repetindo o “¿Qué pasa?”.

Alguns minutos depois, o amigo voltou, dizendo que até daria pra eles furarem fila, mas “teria que ser na maldade”. O outro, então, respondeu que já estava chegando a vez deles mesmo, então eles poderiam ficar ali.

Sinceramente, a minha vontade foi passar um sermão naqueles meninos, mas me segurei e somente refleti sobre a história. O meu dever é ensinar muito bem às minhas filhas o significado de respeito e caráter, para que ninguém as veja, no futuro, tendo uma atitude parecida com a daqueles “lekes”.

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Nesse últimos 3 meses, a Priscila evoluiu bastante! 🙂 – Está falando várias...

E ontem nossa caçulinha completou 2 aninhos!E passou tanta coisa pela minha cabeça:– Os 2 anos da...

– Mamãe, posso conversar com você? – Só um instante. Deixa eu acabar de fazer isso aqui e já podemos...

8 comentários
 
  1. SELENE 1 de fevereiro de 2013 at 01:16 Responder

    Concordo com a Senhora d.Lucia. Os pais são os maiores culpados que não ensinam a serem pessoas de bem que respeitem o próximo. A educação de casa faz grande diferença. Bjs

    • Rosemary Paz 1 de fevereiro de 2013 at 11:05 Responder

      É desse jeito Selene ! Educação vem de casa ! Um artigo de luxo hoje em dia !

  2. Lilia Faria 30 de janeiro de 2013 at 13:18 Responder

    Mônica, tenho que ser sincera. Que já presenciei cenas como essa. E tenho que dizer. Onde anda os pais desses “lekes”. Eles deveriam ter educado os filhos. Ensino que a base de tudo na vida é o respeito. Assim eles terão um bom caráter Infelizmente, vemos muito disso por aí. Infelizmente mesmo Beijos Lilia

    • Mônica Japiassú 30 de janeiro de 2013 at 14:17 Responder

      Pois é, Lilia. Vamos continuar educando bem nossas filhas, pra elas não se tornarem “lekas”, né? 🙂

  3. José (pai da Mônica) 30 de janeiro de 2013 at 10:18 Responder

    No sábado retrasado fui ao CCBB assistir a umas sessões de histórias, que aconteciam em salas diferentes. Quando terminou uma sessão, eu e 2 amigas fomos para outra sala. Havia uma fila de umas 30 pessoas e uma outra amiga nossa estava lá na frente. Fomos cumprimentá-la, e então eu disse que iria para o fim da fila. As outras disseram “Fica aqui, Zé!”. Respondi que fico p. da vida quando alguém fura a fila em que eu esteja, por isso eu não furaria. Fui para o final da fila pensando “Acho que sou um dos raros otários que existem!”.

    • Mônica Japiassú 30 de janeiro de 2013 at 10:32 Responder

      Pai, mude seu pensamento para “Acho que sou um dos raros honestos que existem!”. É exatamente por acharem que vão ser “otários” que os desonestos furam filas… E obrigada por vocês me ensinarem a ser honesta! 🙂

      • José (pai da Mônica) 30 de janeiro de 2013 at 11:14 Responder

        Você já nasceu honesta, Mônica! 🙂

  4. Lúcia Japiassú 30 de janeiro de 2013 at 09:15 Responder

    Infelizmente o tipo de atitude desses meninos é que mais se vê por aí. Tenho pena, pois no fundo, os maiores culpados são os pais que não deram uma base de respeito com o semelhante para eles. Tenho muito orgulho dos meus filhos e dos meus netos, que estão se criando com estrutura familiar perfeita.

Deixe uma resposta