O processo para dormir no horário…

Filhos  /   /  Por Carlos Marcelo Bianchi

Após mais de 1 ano de muita disciplina e algumas recaídas no caminho, hoje o processo de ir dormir na hora e acordar de manhã é um paraíso pleno e semiautomático.

Até a Amanda completar 2 anos, 2 anos e meio, nós não nos preocupávamos muito com o horário de dormir, deixávamos correr um pouco frouxo, tanto q tinha dias que a ordem de dormir vinha às 21:30 e se prolongava até quase 23:00. Aí de manhã era ruim para todo mundo acordar.

Após uma reunião de diretoria, traçamos estratégias, lemos sobre o assunto, chegamos a um consenso e uma rotina: a Amanda vai passar a dormir às 21:00 e vamos começar o processo às 20:30 (parar as brincadeiras, fazer xixi, escovar os dentes, trocar de roupa, etc). Aí ela vai pra cama e eu conto 2 histórias para ela: uma de um livro q ela escolher e outro da minha cabeça.

Tivemos vários percalços, principalmente no início: ela queria ouvir várias histórias, queria ir no banheiro de novo, ficava interrompendo as histórias várias vezes, queria ficar vendo as figuras dos livros, começava a contar o que aconteceu na escola, pedia boneca A, B e C, queria dormir na sala e depois de feriados e saídas noturnas, quando o processo saía um pouco da rotina, a resistência dela aumentava nos dias seguintes.

Mas tanto ela quanto nós fomos nos ajustando. No início, antes de dormir, colocávamos um DVD na sala para ela ir “esfriando” antes e algumas vezes ela até dormia vendo a TV. Mas depois o efeito foi ao contrário e cortamos isso em parte: passamos a colocar um horário limite que até a Mônica já contou com detalhes aqui no blog, nos dias 19/08/2007, 23/08/2007, 12/09/2007 e 05/02/2008. Vale a pena dar uma olhada.

Com o passar dos dias, notamos que a Amanda demorava MUITO para dormir na cama e, algumas vezes, logo depois de dormir, ela acordava e chamava a gente para voltar ao quarto. E muitas vezes nós também dormíamos junto. Nós chegamos à conclusão de que o que ela queria era ficar perto da gente o maior tempo possível; não era medo ou manha.

Então, contrariando a normalidade, propusemos para a Amanda uma exceção, que nos últimos meses ela transformou em regra: ela poderia escolher dormir na cama ou na sala, mas na sala teria que ficar quietinha, de olhos fechados, sem história e sem TV. Estes 2 últimos era pra ver se ela de vez em quando optava por dormir no quarto, mas não adiantou: ela SEMPRE escolhe dormir na sala.

Por incrível que pareça ficamos felizes. Isso porque está provado que ela realmente queria nossa companhia e que isso é mais importante do que outros benefícios. 🙂

Outra variação que fizemos foi com relação ao final de semana: na sexta e nos sábado ela pode ir dormir mais tarde e ver um pouco mais de TV.

Como o post ficou muito grande, dividi em duas partes. Agora vem o outro lado: o “amanhã de manhã”.

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Quem acompanhou a minha terceira gravidez pelo Instagram deve lembrar das fotos semanais que eu...

Ontem, poucos minutos antes da hora de dormir, a Priscila cismou que queria jogar Wii. Nós...

– Por que vocês quiseram ter filhas?Essa foi a pergunta que eu e Marcelo ouvimos da Lelê, enquanto...

3 comentários
 
  1. Carlos Marcelo 3 de outubro de 2008 at 09:35 Responder

    A casa dos avós é outra legislação! 🙂

  2. Lúcia Japiassú 2 de outubro de 2008 at 21:40 Responder

    O Marcelo esqueceu também de dizer que quando ela dorme na casa da vovó Lulu todas essas regras deixam de existir…kakakakakakakakakaka

  3. Mônica Japiassú 2 de outubro de 2008 at 12:39 Responder

    Adoreeeeiii o post! :)))
    Só faltou dizer que ela dorme na sala mas depois temos que carregá-la até sua caminha, pra dormir até de manhã.
    E que esta atividade está ficando cada vez mais difícil devido ao seu peso! Heheheh!

Deixe uma resposta