Amanda migrando da renda fixa para a renda variável

Dinheiro, Filhos  /   /  Por Carlos Marcelo Bianchi

Até semana passada, Amanda ganhava semanada de R$2,00. Embora tenhamos recebido críticas ao valor baixo, ao longo do tempo ela conseguiu grandes conquistas. Ou seja, conseguimos passar a ideia para ela de que, mesmo ganhando pouco, é possível, com paciência e poupança, comprar o objeto desejado. O último foi o skate, quando a Mônica pôde ensinar a pesquisa de preços, aumentando ainda mais o poder de compra dela.

Porém, o efeito que eu esperava não aconteceu: ela mesma propor formas de ganhar algum trocado adicional, se oferecendo para fazer alguma coisa em casa. Como ela não se ofereceu, também não propusemos nada.

E, assim, ela prosseguiu os últimos 2 anos com plena estabilidade e rendimentos constantes, sem um mérito associado, sem uma dose de incerteza e com algum reajuste automático (ela começou ganhando 1 real). Ela estava vivendo o mundo da renda fixa e remuneração estável.

Esta semana apareceu uma oportunidade interessante. Diariamente pedimos para a Amanda prender a Letícia no cinto de segurança, no carro, e ela tem esquecido com frequência. Foi quando ela mesma sugeriu receber R$0,50 sempre que se lembrar de prender a Letícia.

Então, fizemos uma contraproposta a ela, sugerindo substituir a semanada fixa dela pela oportunidade de ganhar 25% a mais, com risco de ganhar menos do que ganhava antes.

Ela aceitou perder a certeza de ganho proporcionado pela renda fixa, por uma outra forma mais arriscada, porém com possibilidades de ganhos maiores, aceitando correr um risco, como uma renda variável.

Seguem abaixo as regras para a primeira renda variável da Amanda:

  • Prender Letícia no carro 2 vezes por dia, de segunda a sexta;
  • Se lembrar as duas vezes, ganha 50 centavos no dia;
  • Se esquecer 1 vez, não ganha nem perde;
  • Se esquecer as duas vezes, perde 50 centavos no dia;
  • Amanda anotará o saldo de cada dia;
  • Às sextas, Amanda mostrará a anotação da semana e receberá o dinheiro.

Se este mecanismo funcionar bem, acreditamos que, ao final, ela terá aprendido conceitos importantes de educação financeira:

  • Começar a investir nela mesma primeiro;
  • Diferença entre renda fixa e renda variável;
  • Ganhos maiores implicam maior risco;
  • Controle e observação do risco que foi aceito;
  • Disciplina para aumento e preservação do capital.

Torço para que, com o tempo, ela perceba que, na verdade, está investindo nela mesma, especificamente numa ação dela, e proponha outras ações para aumentar a receita. Será bacana vê-la se esforçando para controlar outros riscos para perseguir sonhos maiores.

Independente disso tudo, ela continua rejeitando a ideia de colocar o dinheiro no banco, pois ela pensa que o banco irá pegá-lo para ele. Mas esse conceito deixaremos para quebrar mais tarde, quando ela tiver mais maturidade para entender como funciona o Sistema Financeiro Nacional.

Investindo nela mesma e poupando

Investindo nela mesma e poupando

 

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Nesse últimos 3 meses, a Priscila evoluiu bastante! 🙂 – Está falando várias...

E ontem nossa caçulinha completou 2 aninhos!E passou tanta coisa pela minha cabeça:– Os 2 anos da...

– Mamãe, posso conversar com você? – Só um instante. Deixa eu acabar de fazer isso aqui e já podemos...

10 comentários
 
  1. Leo 10 de setembro de 2012 at 16:49 Responder

    Que maldade com a Amandinha… rs

  2. Lúcia Japiassú 10 de setembro de 2012 at 12:02 Responder

    A Amanda quando crescer vai ser PresidentA do Banco Central! 🙂 Mas é muito legal essa forma de educação financeira que vocês estão dando prá ela. Ela está valorizando cada centavinho dela. Pude ver de perto o efeito que está fazendo nela quando fomos comprar o skate com ela, quando ela fez pesquisa de preços em todas as lojas, até resolver qual seria o melhor para ela. PARABÉNS AOS PAPAIS!

  3. José (pai da Mônica) 10 de setembro de 2012 at 09:58 Responder

    Na minha opinião, a diferença entre renda variável e renda fixa deve ser bem maior, para compensar o risco. Se a remuneração for de apenas R$ 0,50 por dia, nos dias em que a Amanda e a Letícia não forem à escola (ou uma delas não for, como hoje), o valor da semanada será, no máximo, igual ao que ela recebe atualmente. Sugiro o valor de R$ 1,00 por dia. Nos dias em que, além de irem à escola, forem a outro lugar, a Amanda receberá algum adicional? Como será durante as férias?

    • Mônica Japiassú 10 de setembro de 2012 at 10:13 Responder

      Pai, ter a oportunidade de ganhar 25% a mais é coisa pra caramba!! Quase todas essas situações que vc expôs já foram mapeadas e explicadas para ela. 🙂 Nós só não escrevemos todas as possibilidades para o post não ficar tão grande. Hoje, por exemplo, que a Amanda não precisou prender a Letícia, ela se lembrou e quis prender a mochila no lugar da Letícia! Heheheheh! Na sexta-feira, que foi feriado e ela teve mais do que duas oportunidades para se lembrar de prender a Letícia, acabou tendo colher de chá e pôde se esquecer uma vez sem ser penalizada, já que se lembrou nas 2 vezes necessárias. Durante as férias, a gente combina alguma outra coisa com ela. Falta muito até lá. 😉

  4. Gabriela 10 de setembro de 2012 at 07:37 Responder

    Gostei muito da estratégia de vcs. Vou passar a aplicar algumas c a Julia. A gente tb da uma semana pra Julia. Sendo q 50% eh para gasto no lanche da escola, pois ela já esta c 12 anos e nao quer mais levar o lanche de casa) e os outros 50% eh para ela guadar pra ela. Tb estipulamos algumas tarefas p q ela cumprisse. A diferença eh estávamos esquecendo de adotar esse sistema de perda para cada tarefa nao cumprida, q nós msm propomos no inicio do ano pra Julia. Este fim de semana Julia conseguiu adquirir o tao sonhado IPhone 4S q ela tanto queria. Mas agora acredito, q se tivesse perdido c algumas tarefas q nao cumpriu, ela nao teria feito essa aquisição c tanta rapidez. Agora serei mais rígida c isso, para q ela de mais valor aos 50% q ela vai guardar pra ela. Valeu pelas dicas. Gabriela

    • Mônica Japiassú 10 de setembro de 2012 at 09:56 Responder

      Que bom que vc gostou e o post serviu para sua reflexão com relação à Júlia, Gabriela! 🙂 Outra coisa que vocês podem pensar é em deixar que ela separe qual parcela da semanada será para o lanche e qual será para poupar. Quem sabe ela mesma não pense em comprar lanches mais baratos ou não beber todos os dias durante o lanche, para poder poupar mais, né?

    • Mônica Japiassú 10 de setembro de 2012 at 10:08 Responder

      Ah, sim, PARABÉNS para a Júlia por ter conseguido juntar tanto dinheiro para conseguir comprar seu sonho!! 🙂

    • Carlos Marcelo Bianchi 10 de setembro de 2012 at 20:31 Responder

      Não é uma punição pelo não cumprimento: estamos focando na consequência do não controle da própria criança. Outro detalhe importante é oferecer um ganho a mais por passar a correr um risco de ganhar menos que, eventualmente, pode acontecer.

      • José (pai da Mônica) 10 de setembro de 2012 at 21:08 Responder

        Achei bacana esse método de introdução aos fundamentos de educação financeira! Se os meus pais tivessem feito isso comigo, há 59 anos, hoje eu estaria milionário! 🙂 Mas também acho que os R$ 0,50/dia devem ser nos 7 dias da semana e que deve haver um bônus nos dias em que a Amanda e a Letícia não forem juntas no carro.

Deixe uma resposta