“Posso segurar seu coco?”

Nós babando e elas crescendo  /   /  Por Carlos Marcelo Bianchi

Esta é mais uma parte da história de origem de nossa vida! 🙂 Todos sabemos que é comum nos verões termos viradas de tempos repentinas e fartamente trovejadas. Pois bem, aquela semana foi uma delas e voltando da faculdade após um temporal, minha mãe veio me dizer que um raio caiu em casa e meu quarto estava com um cheiro de queimado. Imediatamente fui verificar o computador e para minha plena felicidade, ele estava funcionando, numa boa, sem sustos. Alguns minutos mais tarde, ao tentar conectar na internet para baixar os emails…. NÃÃÃÃÃÃÃÃO!!!! Meu modem, por causa do raio, tinha ido para os ares!!!! Morreu!!!! Nenhum sinal, nenhum ruído… Ok, tenho internet na faculdade e logo fui falar com meu pai para comprar um modem novo.

O apavoramento se deu pq, como a Mônica disse no capítulo anterior, nós passamos a trocar emails imensos todos os dias, contando de tudo, TUDO! 🙂 Não queria cortar aquilo por estar sem modem… É como se tivesse criado em mim uma necessidade de saber sempre como ela estava. Já me sentia a sustentação da felicidade dela sem eu perceber.

No Sábado seguinte, combinamos que a saída seria para o melhor boliche que já existiu na face da terra: o boliche do Ilha Plaza!! 😉 Tentei ligar para lá para ter informações, mas não tive sucesso. Então, voltando da faculdade, eu passei por lá. Como fica a 15 minutos de casa, voltei andando quando avistei um toró se aproximando. Achei que daria tempo e corri mas a chuva desceu com tudo!! Eu adoro tomar banho de chuva, mas não precisava tanto.

Enquanto caminhava, sem praticamente enxergar nada, ia me sentindo mais leve e não parava de pensar na Mônica. Então comecei a perceber que aquela necessidade de querer deixá-la feliz não era muito normal. Preferi não tirar conclusões já, esperar as coisas acontecerem. Só tinha certeza que algo tão bom estava acontecendo nas nossas vidas e apenas, por hora, queria curtir isso. De qualquer modo, daquele chuvaréu eu posso dizer que eu não saí o mesmo.

Passei para Mônica os parâmetros e horário do boliche e nos encontramos lá. Eu sou recordista por jogar mal qualquer modalidade esportiva, inclusive boliche e a Mônica ao contrário, mas tudo bem, valorizo a diversão. Contudo, naquele dia aconteceu o inverso: eu estava jogando animalmente bem e ela tremendamente mal! No fim, após duas partidas, uma de suas amigas sugeriu tirar uma foto do melhor e do pior do boliche e saiu esta de mim que não parece comigo, mas sou eu!! HAHAHAHAHAHAH! Detalhe que nesse momento me deu uma vontade enorme de segurá-la com os braços, como se a tivesse carregando, mas fiquei sem graça e deixei pra lá. Mais tarde, ela disse q não ia deixar eu fazer isso, afinal de contas, estávamos apenas nos conhecendo! 😉

Outro detalhe deste jogo é que ela resolveu testar se eu sentia cócegas e… Conseguiu!!! Quão decepcionado fiquei quando descobri que existem pessoas que não sentem nada e ela era uma delas!!! Argh!! Coitado de mim, fiquei (até hj) nas mãos dela! 🙂

Fim de jogo, eu ingenuamente achei que iríamos voltar para casa quando elas me vieram com a totalmente inesperada pergunta:
– E aí?
– ??????
– O que vamos fazer agora?
– Ah, podemos ir pra algum lugar…
– E… O que tem de BOM aqui na Ilha?
Sabe aquele momento em que bate na sua cabeça o o-ou do ICQ? Pois bem, situação totalmente fora do previsto! Sou apaixonado pela Ilha do Governador, mas admito que lá não tem nada de night a não ser a Praia da Bica! Pois para lá fomos nós e resolvemos ir para um barzinho que tinha lá chamado Coconut. E lá as amigas da Mônica ficaram batendo papo, mas eu não estava participando muito. Foi quando percebi a mão dela do lado da minha, assim bem pertinho com a mesma vontade que eu mas que por motivos de inibição, não colocamos em prática! 🙂

Antes de sairmos, ela ligou para os pais perguntando se queriam coco e comprou alguns. Na saída, percebi que ela tava um poquinho enrolada e então, como bom cavalheiro que sou, perguntei se ela gostaria que eu carregasse os cocos para ela.

Ela me deixou em casa, nos despedimos felizes e cientes de que estávamos mais firmes, sem nos perguntarmos como. Até ali não queríamos saber. Resolvi colocar num mail para ela o que eu estava sentindo de maneira bem “imparcial”. Tarefa difícil essa de dizer que você está sentindo algo especial de maneira delicada, que o tempo todo ficava preocupado e pensativo nela, sem parecer paixão para não aniquilar aqueles deliciosos dias de verão, já que eu não sabia o quanto ela estava gostando de mim, só sabia que ela já tinha tido muitos amigos e queria acreditar que eu era mais um deles, apenas.

Ledo engano ao receber a resposta deste email dias mais tarde, em que ela revelava estar também sentindo algo diferente por mim. Prefiro deixar esta parte para ela contar no próximo capítulo. Vcs vão ter uma história surpreendente com muito suspense e ação!!!! heheheheh! 🙂

A seguir, cenas do próximo capítulo:

  • O que aconteceu nas semanas seguintes provou que a lei de murphy é efetivamente mais poderosa que a probabilidade, porém, por mais que ela seja persistente, nós sempre a vencemos.
  • Moniquinha conta TUDO, mas nem tanto.
  • Mais um Sábado, mais um boliche!!!
  • Exlcusivo: Previsão do tempo no blog!!!
  • Dois tomates atravessando a rua, de repente um fala para o outro: “Olha o caminhão!!!” (…)

Cadastre-se para receber e-mail quando houver posts novos!

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Blog renovado! Clique aqui para ir para nosso novo blog! Cadastre-se para...

Blogagem coletiva >> Relato de parto O relato de hoje não é do parto da Amanda (que pode ser visto...

Disney World >> Visto americano – Parte 2 Continuando os posts desta série, hoje farei um resumo do...

12 comentários
 
  1. Pingback: A história de nós dois, desde o comecinho! | Família Quadrada

  2. Pingback: A história de nós dois, desde o iniciozinho! | Família Quadrada

  3. Adria (madrinha junto com o Leo) 15 de janeiro de 2004 at 08:39 Responder

    A história de vcs é muito linda! É bom saber dos detalhes do passado, mas é melhor ainda ver vcs construindo um futuro cheio de amor…
    Beijos =)

  4. Leo (padrinho junto com a Adrinha) 14 de janeiro de 2004 at 13:04 Responder

    Cara, passe no flog (http://www.fotolog.net/wocacomm/?photo_id=4625443) do Monte e veja a foto do dia 01/13/2004. Muito legal o que o Monte escreveu.. Só achei meio aboiolado falar que eu era brinquedinho, mas tudo bem.. rs..

  5. Lua 14 de janeiro de 2004 at 09:51 Responder

    Oieeeeee
    Muito legal a história de vcs… xou de bolaaa!!! To numa correria… aiiiiii… Bjús e aguardo os próximos capítulos.. hehehe

  6. teca 13 de janeiro de 2004 at 17:02 Responder

    Nossa! qdo abri e vi o título do post me assustei =D
    Pensei ter lido coisa errada, risos
    Um bêjão

  7. Lu 13 de janeiro de 2004 at 10:58 Responder

    Esqueci de falar..
    Linkei vc no meu blog!!!
    Se tiver algum problema me avisa, tá???
    E se quiser me linkar também, vou adorar!!!
    bjosss

  8. Carol 13 de janeiro de 2004 at 10:52 Responder

    Que legal a história de vocês. Estou aguardando as cenas do próximo capítulo!!Preciso da ajuda de vocês. Também moro no Rio e queria saber se vocês conhecem um lugar que venda os noivinhos de bolo de casamento?! Aqueles bonequinhos são um charme, não é mesmo?!!!

  9. Lu 13 de janeiro de 2004 at 10:33 Responder

    A internet sempre ligando as pessoas, ne??
    Conheco no minimo 4 casais q estao super bem juntos e q se conheceram na net!!!!
    :)))

  10. Laura Sá 13 de janeiro de 2004 at 03:46 Responder

    Pode passar despercebido o susto quando li o titulo do Post? O acento foi pra outro lugar … eu arregalei os olhos … e UAI! O QUÊ QUE É ISSO???? 🙂

  11. Paty madrinha preferida 13 de janeiro de 2004 at 02:16 Responder

    Cara, eu lembro perfeitamente do dia do raio aki em casa!! caraca… q susto q foi!! Qta coisa aconteceu nesse dia!! hehe

  12. Vivi Japiassú 13 de janeiro de 2004 at 02:07 Responder

    Eu também sou péssima em esportes. Definitivamente não nasci para isso…
    Essa dos tomates no final das cenas do próximo capítulo, foi ótimo… hehehe

Deixe uma resposta