Educação religiosa

Nós babando e elas crescendo  /   /  Por Mônica Japiassú

Educação religiosa

Ainda não iniciamos as meninas em nenhuma religião específica. Tudo que a Amanda sabe (a Letícia ainda é muito pequena pra entender essas coisas) sobre Deus, Jesus, morte etc. é bem genérico, aplicável a qualquer religião.

Na minha opinião, um dos pilares de qualquer religião é o respeito ao próximo, e nós ensinamos esse valor a elas a todo momento.

Bem, depois de mais um dia de falta total de respeito ao próximo da igreja católica, soltando fogos ensurdecedores às cinco e meia da manhã pra acordar os santos e toda a vizinhança, está decidido: a religião católica só será uma opção para a educação religiosa das minhas filhas depois que alguém me der uma resposta coerente e aceitável sobre por que é necessário soltar esses fogos ensurdecedores em dias santos, em um horário em que a lei do silêncio determina que é proibido fazer barulho.

Cadastre-se para receber e-mail quando houver posts novos!

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Blog renovado! Clique aqui para ir para nosso novo blog! Cadastre-se para...

Blogagem coletiva >> Relato de parto O relato de hoje não é do parto da Amanda (que pode ser visto...

Disney World >> Visto americano – Parte 2 Continuando os posts desta série, hoje farei um resumo do...

8 comentários
 
  1. Daniele 16 de novembro de 2011 at 12:48 Responder

    Vejo que, como eu, suas filhas são privilegiadas.
    Minha mãe, sempre dizia que nós eramos muito pequenas para saber o que era religião. A propósito, nem deixo que fizéssemos a primeira comunhão porque segundo ela, nós ainda não tinhamos capacidade para escolher uma religião.
    Hoje me considero católica (naquilo que me convém). Infelizmente não são todas as crianças que têm a mesma sorte.

  2. Lúcia Japiassú 13 de outubro de 2011 at 19:46 Responder

    Daqui de casa (que é bem perto da casa da Mônica e doMarcelo, para quem não sabe)também acordo com os fogos e fico indignada!
    Por que será que não deixam para soltar os fogos durante o dia? que diferença faz?acho que os santos não vão proteger mais ou menos nenhum fiel pelos fogos e pelo horário em que são soltados!

  3. Edwiges 13 de outubro de 2011 at 14:19 Responder

    Mo, com certeza isso é um absurdo, vc sabe que sou católica e tenho certeza que os católicos não concordam com isso. Não tire uma maioria por uma minoria, ok? Mil beijos!!!!!

  4. Carlos Marcelo 13 de outubro de 2011 at 12:29 Responder

    Não dá, não aceito. Falta de respeito é extra religião mas… Os fogos são no quintal da igreja, com aval da igreja e, provavelmente, colaboração dela, apoio dela, conivência dela.

  5. Leozinho 13 de outubro de 2011 at 11:09 Responder

    Sou católico, quase teólogo (faço teologia na PUC) e concordo com vc: é um absurdo! Queria ver se fosse o pessoal de Ubanda, se a sociedade ia aceitar da mesma forma passífica.
    Infelizmente a religião que deveria ser um meio para potencializar ou viabilizar a experiência com Deus Uno e Trino, hoje em dia é grande um fator de obstáculo, e por várias vezes completamente contrária ao próprio Cristo.
    Mas esse papo é LONGO demais. Mas também fico revoltado e acho um absurdo essas e outras manifestações que ferem o respeito e a cidadania.

  6. Mônica Japiassú 13 de outubro de 2011 at 09:13 Responder

    Mi, concordo plenamente com o início do seu comentário! 🙂

    Porém, infelizmente, o foguetório é da igreja perto da nossa casa sim. A gente passa por isso umas 3 vezes por ano, em dias santos (não decorei ainda quais são os santos específicos, mas fazendo uma busca aqui no blog, consigo identificar, pois eu sempre faço post reclamando disso), e depois de tantas vezes, conseguimos identificar que os fogos sempre vêm dos arredores da igreja.

  7. Michele 13 de outubro de 2011 at 00:55 Responder

    Religião não se discute (se respeita), porém creio eu, que o foguetório não tenha sido culpa da Igreja, e sim de algum sem noção que usou do feriado para fazê-lo, e neste caso, concordo com vc e com a tia Elza
    É TOTAL FALTA DE RESPEITO AO PRÓXIMO.

  8. Tia Elza 12 de outubro de 2011 at 11:58 Responder

    Penso que, independente de festejos religiosos, futebolísticos, carnavalescos, dentre outros, o respeito ao sossego alheio deve imperar.
    Odeio os foguetórios nos horários que merecemos relaxar.
    É TOTAL FALTA DE RESPEITO AO PRÓXIMO.

Deixe uma resposta