Post sob demanda: dicas para escolher uma creche

Filhos  /   /  Por Mônica Japiassú

Uma amiga nossa que costuma ler o blog nos fez uma encomenda de post. Ela está grávida e já começou a pensar nas questões que envolvem a escolha da creche onde vai colocar o bebê depois que terminar sua licença-maternidade. Então, nos pediu umas dicas.

Como achamos interessante a ideia do post sob demanda, estamos abertos a outros tipos de encomenda de textos. 🙂 Podem comentar, dando suas sugestões de novos posts!

Bem, mas vamos às dicas! Bianca, depois nos diga se foram úteis. 🙂

  • Visite sem avisar

Tente visitar as creches sem avisar previamente, para que você não fique com a impressão de que está tudo correndo às mil maravilhas só porque elas sabiam que a rotina da creche seria apresentada para alguém. Se puder ir no meio da manhã ou no meio da tarde, quando a creche está funcionando a todo vapor, melhor ainda, para você ver como é o dia a dia no horário de pico.

  • Limpeza

Enquanto estiver fazendo a visita, repare na limpeza das dependências. Veja se as salas onde os bebês costumam ficar têm tapete de EVA ou algo do tipo e se parecem bem limpas. Peça para visitar a cozinha e avalie a limpeza e organização de lá também.

  • Rotina diária

Pergunte como é a rotina dos bebês que ficam na creche, o que eles fazem em cada horário, quais são as atividades dirigidas de recreação, horário e duração do soninho, de almoço/lanche etc. Dependendo dos horários da creche, pode ser necessário que você mude alguma coisa em sua rotina de casa.

  • Calendário anual

Verifique se a creche entrega um calendário anual para os pais. Isso, por si só, não precisa ser critério para desistir de uma creche, mas alguns detalhes relacionados a esse assunto, sim. Se você tiver um planejamento anual da creche no início do ano, já pode se programar para possíveis feriados enforcados e férias, caso a creche feche em determinados períodos.

Pergunte se eles costumam abrir às segundas quando há feriados em uma terça (ou às sextas, quando o feriado é numa quinta-feira). Isso pode fazer uma grande diferença em sua escolha, principalmente se você não tiver com quem deixar o bebê caso a creche não funcione.

Verifique principalmente se a creche continua funcionando (ainda que em esquema de colônia de férias) nos meses de janeiro, julho e dezembro. Se você ficar em dúvida entre duas creches, sendo que uma delas funciona o ano inteiro (talvez pare somente por duas semanas, no fim de dezembro), escolha esta, senão você vai ter que ficar fazendo malabarismos com suas férias no trabalho.

  • Remédios

Veja se a creche aceita numa boa dar remédios para as crianças, quando necessário. Algumas podem ter restrições a dar remédios diariamente e diversas vezes ao dia, como acontece com homeopatia, em alguns casos.

  • Cardápios

Peça para ver o cardápio semanal. Pergunte se há uma nutricionista que orienta no desenvolvimento desse cardápio. Pergunte se a creche tem condições de tratar diferencialmente crianças que têm alergias a determinados alimentos.

  • Eventos externos

Essa dica não serve tanto para bebezinhos pequenos, mas se você pretende que seu filho continue na mesma creche por alguns anos, é bom saber se é comum organizarem passeios e eventos externos, qual é a frequência, a média de custo etc. Se a quantidade de atividades externas e caras for grande e você não gosta da ideia de seu filho se sentir excluído caso você não o deixe participar desses eventos, este pode acabar sendo um critério de exclusão na hora da escolha.

  • Forma de pagamento

Pergunte sobre a forma de pagamento: a creche emite boletos ou você tem que se lembrar de mandar cheques todo mês? Há desconto para pagamento até um determinado dia do mês? Se você pagar a anuidade à vista, qual é o valor do desconto? Em muitos casos, você consegue economizar o valor de uma mensalidade, se pagar à vista.

  • Proximidade de casa

Na minha opinião, quanto mais perto de casa, melhor. Caso seu filho vá ficar com sua mãe ou alguma outra pessoa em um período do dia, talvez seja melhor que seja perto da casa dessa pessoa. Uma creche perto do seu trabalho também pode ser uma boa opção, pois assim você chegará mais rápido na hora de buscar seu filho, especialmente se precisar buscá-lo em alguma emergência. Mas, se o trabalho for longe de casa, não esqueça que ele não terá a mesma paciência que você para ficar dentro de um carro ou ônibus por muito tempo, até chegar à sua casa. Lembre-se também da época do desfralde: se demorar muito para chegar a um local com banheiro e a criança estiver sem fralda… (preciso completar?) 😉

  • Seguro-saúde

Pergunte se a creche oferece seguro-saúde ou algo do gênero, para o caso de emergências dentro do estabelecimento. Se não oferecer, verifique qual é o procedimento da creche se a criança quebrar um braço ou tiver algum corte profundo, por exemplo. Se a creche cobrar um valor adicional por esse seguro e der a opção de você aderir ou não, pergunte o que farão se houver uma emergência com seu filho e você não tiver aderido.

  • Simpatia e felicidade das funcionárias

Enquanto estiver andando pela creche, preste atenção à expressão das tias e funcionárias. Veja se elas passam um sentimento de felicidade pelo trabalho que fazem e se transmitem carinho para as crianças. Isto é essencial para você se sentir bem enquanto está longe do seu filho: saber que ele está sendo bem cuidado pelas profissionais da creche.

  • Valor da mensalidade

Por último, mas não menos importante, compare as mensalidades das creches visitadas, levando em conta toda a estrutura oferecida e a quantidade de horas que seu filho ficará lá. Muitas vezes, a escolha acaba sendo feita somente pelo valor, mas como estamos falando de nosso bem mais precioso – nosso filho -, este não pode ser o único critério avaliado, principalmente se a escolha for pela creche mais barata. Não se esqueça que, nesse caso, o provérbio “A economia é a base da porcaria” pode se encaixar bem.

Espero que as dicas tenham sido úteis para muitas mamães e papais que estão prestes a passar por essa difícil escolha!

Se alguém tiver dicas a acrescentar, por favor, deixe nos comentários. Como já se passaram cerca de 8 anos desde que tivemos que fazer a escolha da creche das meninas, pode ser que eu tenha me esquecido de algo importante.

E, se alguém quiser fazer uma sugestão de outro post sob demanda, comente aí embaixo sobre que tema você quer que a gente escreva! 🙂

Gostou desta matéria? Leia estas também!

Quem acompanhou a minha terceira gravidez pelo Instagram deve lembrar das fotos semanais que eu...

Ontem, poucos minutos antes da hora de dormir, a Priscila cismou que queria jogar Wii. Nós...

– Por que vocês quiseram ter filhas?Essa foi a pergunta que eu e Marcelo ouvimos da Lelê, enquanto...

3 comentários
 
  1. Bianca 7 de junho de 2013 at 23:35 Responder

    Oi Mônica, Muito obrigada por publicar o meu post sob demanda! Suas dicas foram excelentes e demonstram que a experiência faz toda a diferença mesmo! Tenho certeza que elas me ajudarão muito, assim como a muitas mamães de primeira viagem como eu! Vou anotar todos esses tópicos e levar nas creches quando for visitá-las. Ao olhar os critérios, tenho a impressão que nenhuma creche passa nessa seleção! hahahaha… 🙂 Ao final dessa saga, conto para vocês como foi a experiência. Muito obrigada!! 😉 Beijos, Bianca

    • Carlos Marcelo Bianchi 8 de junho de 2013 at 06:03 Responder

      Ao final não! Pode vir compartilhar durante a saga! 🙂 Certamente, nenhuma tem tudo, então, é interessante você pontuar os quesitos que são mais relevantes para vocês e aceitar alguns fatores ausentes.

    • Mônica Japiassú 8 de junho de 2013 at 07:20 Responder

      Hahahahah! É, Bianca, infelizmente não deve ter nenhuma creche que passe bem por por todos quesitos. Vocês devem priorizá-los, para ver qual delas atende aos principais. 🙂 Vá nos contando, então! B-jim!

Deixe uma resposta